Instalações de Elevação

Instalações elétricas de utilização de energia elétrica

Fale connosco

Av. 5 de Outubro, nº208 1069-203 Lisboa
(351) 217 922 700 / 800

Manutenção e inspeção de Ascensores


O Decreto-Lei n.º 320/2002 estabelece as disposições aplicáveis à manutenção e inspeção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes, de agora em adiante designados abreviadamente por instalações, após a sua entrada em serviço.

Sucintamente o Diploma estabelece disposições sobre a obrigatoriedade de se efetuar manutenção das instalações de elevação, a obrigatoriedade de se efetuar Inspeções periódicas entre outras, define as competências de fiscalização, estabelece exigências para as substituições e alterações da instalações, bem como a relação entre entidades (município, proprietários, EMIE e EIIE).

Faz-se notar que o Decreto-Lei n.º 320/2002 está parcialmente revogado pela Lei 65/2013 no que diz respeito às profissões regulamentadas. Para mais informações estão disponíveis para o separador relativo às profissões regulamentadas na área das instalações de elevação.

 

 

A Manutenção

O Decreto-Lei n.º 320/2002 estabelece a obrigatoriedade da manutenção regular, a qual é assegurada por uma EMIE, entidade devidamente reconhecida pela Direcção-Geral da Energia e Geologia (DGEG). A EMIE assume a responsabilidade, criminal e civil, pelos acidentes causados pela deficiente manutenção das instalações ou pelo incumprimento das normas aplicáveis, sendo a responsabilidade assumida solidariamente com o proprietário.

 

Define o Diploma a existência de um contrato manutenção entre as partes, devendo o mesmo obedecer aos critérios técnicos mínimos estabelecidos pelo Decreto-lei, onde se especificam serviços mínimos e os respectivos planos de manutenção.

 

Para além de questões técnicas pontuais, a DGEG não se imiscui em questões contratuais acordadas entre as partes devendo essa ser dirimidas em sede própria (tribunais).

 

 

Acervo de despachos

 

 

Fiscalização

Às câmaras municipais estão cometidas as competências de fiscalização, de efetuar inspeções periódicas e reinspecções às instalações, inspeções extraordinárias e realizar inquéritos a acidentes, podendo estas competências ser delegadas. É competência do município a selagem dos ascensores, nos casos em que estes não ofereçam as necessárias condições de segurança.

 

 

Inspeção

O diploma estabelece a exigência das inspeções periódicas às instalações, com uma periodicidade que varia de acordo com o tipo de edificações e com a idade da instalação.

As competências para realizar inspeções podem ser delegadas em entidades inspetoras devidamente reconhecidas pela DGEG para a realizar ações de inspeção, inquéritos, peritagens, relatórios e pareceres.

 

 

Acidentes

Em situações de acidentes, o diploma estabelece a obrigatoriedade de participação à câmara municipal dos acidentes ocorridos nas instalações. No caso de acidentes graves, deve ser constituído um relatório técnico a remeter à DGEG pelo município.

 

 

Atualização das condições de segurança

O diploma estabelece também requisitos de readequação de ascensores existentes exigindo a dotação de melhores condições de segurança, especificamente na exigência da implementação portas da cabina e do controlo de carga do ascensor.

 

 

Substituição de equipamentos

Finalmente estabelece ainda condições relativamente à substituição das instalações que devem cumprir com requisitos de conceção, fabrico, instalação, ensaios e controlo final previstos no Decreto-Lei 295/98 que transpõe a diretiva ascensores.

 

 

Minutas de pedidos de escusas

- Alteração de periodicidade

 

- Dispensa de porta de cabina